BBN Radio
Como ir ao CéuRádioInstituto BíblicoChatRecursosIdiomasDoaçõesFale Conosco
Livros|Ajuda & Ferramentas|
 

Privacidade

O Lar Cristão

Capítulo 1

DEUS - CASAMENTO– IDÉIA DELE

 


O QUE É UM LAR CRISTÃO?



Capítulo 1

DEUS - CASAMENTO– IDÉIA DELE

Vamos pensar juntos sobre o casamento cristão. O casamento foi idéia de Deus.Vamos olhar o que compõe um casamento cristão e um lar cristão. O que significa ser casado do ponto de vista de Deus? Qual a função de cada membro da família? De acordo com a Bíblia, o que cada membro deve fazer para manter uma visão correta e a responsabilidade como parte da família ? Vamos começar de onde Deus iniciou tudo. Chamamos este lugar de casamento.

O casamento é a única instituição que desceu para nós antes da queda do homem no Jardim do Éden (Gênesis 2:21-25). Deus ordenou o casamento antes do pecado entrar no mundo e queria que este fosse parte da mais profunda, mais rica e mais alegre experiência da vida humana na terra. Se assim não acontece, não é por culpa da instituição em si, mas daqueles que adentram nela descuidadamente e falham ao cumprir suas exigências. De fato, o casamento é tão importante nos planos de Deus que Ele compara o casamento no livro de Efésios entre o casamento e a Igreja. “Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo. Mas, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres o sejam em tudo a seus maridos.Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela. Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.” (Efésios 5:23-25; 28). A igreja deveria ser um reflexo do lar, e o lar, um reflexo da igreja.

Checando a lista Pré-nupcial

As expectativas do casamento são muitas e variam de muitas maneiras. Alguns se casam pelos motivos errados como: atração física, segurança financeira, segurança física, estabilidade emocional, compatibilidade sexual, fuga da casa dos pais, fuga de um lar desestruturado, baixa auto-imagem, acordos e assim vai. Cedo ou tarde estes motivos aparecem e comprometem o casamento. Cada pessoa deveria ser absolutamente honesta e sincera uma com a outra antes do casamento. Deveria haver liberdade para se abordar quaisquer questões sejam espirituais, sociais, físicas ou qualquer aspecto que pertença ao passado um do outro. Honestamente, isto poderá prevenir futuros embates e até salvar um casamento. De fato, cada relacionamento requer um teste de tempo, como também de um teste de separação ocasional. Esta é uma prática fundamental que determina a vontade de Deus. Um tempo longe fará o coração crescer em afinidade, tanto para com aquele (a) que você planeja se casar, quanto para outras pessoas. Certifique-se de que seu relacionamento já passou pelo teste do tempo.

Deus planejou que muitas de nossas necessidades pessoais fossem satisfeitas no casamento. A necessidade de companheirismo, família, aceitação social, intimidade sexual, e muitas outras são satisfeitas dentro do casamento. “Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e se unirá à sua mulher, e serão os dois uma só carne.” (Efésios 5:31). Deus ordenou o casamento para o conforto, felicidade e bem estar da humanidade. É parte do plano original de Deus. Não se trata de um relacionamento que evoluiu nem um costume criado pelo homem nos dias mais antigos. Também não é um mero acordo ou relacionamento temporário criado pelo homem. Ele tem origem divina como parte da criação de Deus que ordenou um compromisso vitalício um para com o outro. “Porquanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem.” (Marcos 10:9). É uma instituição ordenada ao homem e mulher para que se unam emocional e fisicamente e tenham o privilégio de trazer filhos ao mundo.

Não há relacionamento na terra que se aproxime deste relacionamento tão sagrado como o do casamento. Ele excede ao relacionamento de um filho com sua mãe ou pai. O próprio Salvador indicou que o homem deveria deixar seu pai e mãe e unir-se à sua esposa. (Gênesis 2:24). Aqui, Ele não está dizendo que se deva negligenciar aos pais- longe disso. Significa que as obrigações conjugais vêm primeiro. A partir do momento que um homem e mulher chegam ao altar, seu mais alto dever é de um para com outro.

Um ministro do evangelho é quem deve realizar um casamento cristão. É uma cerimônia tão solene, tão carregada de possibilidades de bem e de mal, tão ligada ao destino eterno das vidas das pessoas que entrar de qualquer jeito nessa união não deveria ser tolerado. No casamento, dois corações e vidas são unidos tornando-se um por toda a vida. Este era o plano original de Deus para o casamento antes da queda do homem no pecado. “Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne.” (Genesis 2:24). Um é o único número indivisível.

Aqui está uma famosa citação que nos dá uma visão divina do casamento. “Se Deus quisesse que a mulher governasse o homem, Ele a teria tirado da cabeça de Adão. Tivesse Ele desejado que fosse sua escrava, Ele a teria tirado de seus pés. Mas Deus tirou a mulher do seu lado, de suas costelas, pois a criou para ser sua companheira e uma igual com ele.” (Agostinho).


Comprometimento

O casamento é um laço que somente pode ser desfeito pela morte. A cerimônia é centrada numa aliança entre duas pessoas que trocam votos e declaram um ao outro se “amar, respeitar e confortar-se até que a morte os separe”. A cerimônia antecipa um compromisso exclusivo para os eventos futuros independentemente do que aconteça. “No melhor ou pior, na saúde ou na doença, na riqueza ou na pobreza.” Estas duas pessoas se colocam diante de Deus e formam uma aliança que somente a morte poderá anular. Não é difícil imaginar que até os anjos dos céus param de cantar e ficam em silêncio enquanto os votos santos são proclamados, e dois corações e vidas são unidos por um divino encontro. Uma cerimônia tão santa, tão especial, envolvendo o destino de muitos cristãos, só poderia ser feita na presença de cristãos que entendem a santidade da ocasião. Que não sejamos culpados de tratar com descaso este plano divino.

O que se espera dessas pessoas para que o casamento venha cumprir seu propósito de benção segundo os planos de Deus? O que devem ter em seus corações? O que vai sustentar este novo relacionamento? Haverá alguns ajustes ou conflitos? Vamos considerar alguns destes pontos.

Flexibilidade e Compreensão

Todo pastor à frente de uma igreja sabe o quanto isso é verdade. Quando duas vidas se unem, tem de haver necessariamente, por um tempo, uma colisão de duas vidas. Nós todos somos frutos de diferentes origens, famílias, temperamentos e personalidades. Muitos ajustes precisam ser feitos, e cada um deve ter um coração compreensivo e desejar abençoar juntos este relacionamento. Eles começam a entender que há uma grande diferença na maneira de pensar de um homem e de uma mulher. As coisas que para a mulher são importantes, são insignificantes para o homem e as que para o homem são importantes são insignificantes para a mulher. A descoberta, quando é feita, logo revela que os gostos, preferências e inclinações são muito diferentes daqueles dos maravilhosos dias de namoro! Se ambos fossem bem parecidos, o casamento logo seria entediante. Deus nos fez diferentes para que pudéssemos nos complementar uns aos outros à medida em que amadurecemos.

A melhor maneira de fazer estes ajustes é freqüentemente usar estas 7 palavras “Sinto muito, perdoe-me e eu te amo” Aqui está um verso que reforça isto. “Crês tu que Deus é um só? Fazes bem; os demônios também o crêem, e estremecem.” (Tiago 2:19). Ao se descobrir muitas diferenças, os casais às vezes ficam desanimados e concluem que seu casamento foi um terrível erro. Entenda novamente, o casamento requer sacrifícios e ajustes de ambas as partes. É fácil esquecer-se o quão maravilhoso foi e o quanto se estava apaixonado antes do casamento. De novo, o casamento é o plano divino que funde duas vidas em uma, e isto acontece um dia de cada vez, então vocês começarão a amadurecer e elogiar-se mutuamente em tudo que fizerem. Como alguém já disse: “Você jamais conhecerá alguém a não ser que conviva com ele(a), e começar a se conhecer é a alegria da vida conjugal”.

Deixe-me ilustrar como isto funciona. Você já observou dois rios que se fundem tornando-se apenas um? Um pode ser um riacho lamacento e outro de águas claras. No ponto onde eles se encontram há um claro divisor de águas. A água barrenta se destaca mais que as águas limpas. Ao seguir o rio, você ficará surpreso que depois de alguns quilômetros todos os sinais distintivos de ambos desapareceram. Os rios já se fundiram completamente. Assim são duas vidas que se fundem no casamento.União e perfeita fusão nunca acontecerão pela força. Ela chega em silêncio e gradualmente- mas chega- e suas vidas juntas serão melhor, mais nobres e mais fortes quando já não houver nenhuma diferença a ser vencida. Cada um terá vencido uma batalha moral com sua própria alma e uma vida em comunhão com Jesus Cristo trará calma e águas tranqüilas para um relacionamento maravilhoso.

Às vezes no meio de sua frustração e egoísmo, o diabo tentará destruir o relacionamento. Uma palavra que um casal cristão deveria concordar em nunca discutir é “divórcio.” Isto nunca é a resposta. É uma mentira diabólica fazendo as pessoas acharem que todos os seus problemas serão resolvidos. Se você buscou a vontade de Deus e Ele os colocou juntos, com Sua Graça e orientação e sua perseverança, você pode fazê-lo funcionar. Quando você olhar para trás daqui a alguns anos você entenderá os laços do amor verdadeiro no casamento e se alegrará no maravilhoso relacionamento que terá. Tudo que se precisa é de um pouco mais de paciência. Se ambos forem pacientes e solícitos um para com o outro, os ajustes ocorrerão muito rapidamente, e você descobrirá que o casamento, quando se está no centro da vontade de Deus, é o mais maravilhoso relacionamento da terra.

Determinação

Construir um relacionamento conjugal não é fácil. Há poucos pensamentos de felicidade e muitos dias simples sem atividades atraentes na vida de casado. Quando um cientista se fecha no laboratório para anos de pesquisa, quando uma criança nasce deficiente e o coração da mãe fica preso à pequena cama de sofrimento, nós não os pressionamos com insinuações estúpidas se eles são ou não felizes. Tal pergunta seria um insulto. O casamento é um compromisso que temos que cumprir. Temos que olhar antes de assumir, uma vez assumido o compromisso, devemos permanecer firmes ao nosso posto. Nunca houve um casamento que poderia ter sido um sucesso ou um que poderia ter sido um fracasso.

Ninguém tem direito à felicidade a não ser que a conquiste com devoção, coragem e auto-sacrifício. Estas três qualidades trazem felicidade e alegria e Deus deseja que os dois se tornem um Nele através do casamento. “sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.” (Efésios 5:21). A felicidade não é um alvo motivacional. Muda como o vento. A felicidade é resultado da obediência à vontade de Deus de acordo com sua palavra. “...porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade. Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas.” (Filipenses 2:13-14). Para o casal cristão, o casamento deveria ser uma nova vida existente em duas pessoas.
Quando a felicidade é buscada em primeiro lugar e se torna o carro chefe e alvo do casamento, ela ilude essa busca desenfreada e foge. Se, no entanto, homens e mulheres entram no casamento dispostos a um gesto sacrificial, paciente, perdoando-se e determinados a serem bem sucedidos a qualquer preço, então acharão a felicidade! O casamento é um meio de graça, não de uma felicidade humana superficial. Lembre-se, o casamento é como um triângulo. A parte de baixo são os dois ângulos inferiores que representam você e seu cônjuge. No topo do triângulo está Deus. Quanto mais você se aproxima de Deus, mais se aproximarão um do outro, quanto mais próximos um do outro mais próximos de Deus estarão e verão “pois a alegria do Senhor é a vossa força.” (Neemias 8:10).

Gentileza e Cortesia

Se você é casado, você se lembra como era antes de se casarem, quão gentil seu parceiro era antes de se casar! Vocês não se cansavam de tentar agradar um ao outro. Depois de casados quão econômicos somos em expressar as pequenas amenidades da vida. As palavras “Eu te amo”, “Agradeço a Deus por você”, “Você é especial” e outras palavras de ânimo se tornam mais escassas. As pequenas e significantes cortesias que significam tanto ao coração e felicidade do outro vão se tornando mais raras. É claro que a moeda tem dois lados e a esposa negligencia estes gestos tanto quanto o marido. A questão é que estas palavras de ânimo são muito importantes para o sucesso da vida de casado. Certifique-se que estes modos gentis no tratamento mútuo não morram.

Nossos corações são amorosos, mas nem tanto para suportar um tratamento de grosserias constantes.O próprio fato de serem corações de dentro do lar já os torna mais sensíveis a tais esquecimentos. O coração do lar é leal como plantas firmes mas não tão firmes que não precise de orvalho e do brilho do sol que são as ações de ternura e cortesia. O fato é que os corações estão tão famintos de bondade, afeição e cortesia tanto quanto os corações de um casal. Muitos casais já foram destruídos neste ponto: “Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obras e em verdade.” (I João 3:18).

União de Interesses

É muito fácil mesmo para casais que se amam muito se distanciarem. Antes do casamento, vocês faziam de tudo para agradar a pessoa amada. Naquele tempo você fazia de tudo para providenciar todo o necessário para o outro. Depois do casamento, o marido tem o escritório, responsabilidades, atividades profissionais e os desafios diários. A esposa tem seus deveres domésticos, filhos e compromissos sociais. Freqüentemente, sem se darem conta, estão distanciados, e os mal-entendidos começam a ocorrer com facilidade porque os interesses mútuos são muito diferentes.

Agora temos excelentes maneiras de resolver esta dificuldade. Conheço um homem fabuloso e sua esposa que sempre estavam lotados de trabalho cada um na sua área. No entanto, eles não permitiram que isto os distanciasse. Eles liam juntos, sempre compartilhavam as preocupações e esperanças. Eles adoravam a Deus juntos e oravam juntos. Os anos os conduziram a uma união consolidada dentro do amor conjugal. Nenhum homem é tão grande que possa ter preocupações acima dos interesses de sua esposa. Se ele não se preocupa com isso, sua grandeza já não é tão evidente mas na verdade ele está sendo tolo e falhando em cuidar do maior tesouro, sem preço, que Deus poderia ter-lhe dado.O casamento é mais que encontrar a pessoa certa; é ser a pessoa certa e assim ambos poderão ter o relacionamento correto com Jesus Cristo. Então terão o relacionamento mútuo correto. Leia por favor Colossenses 3: 12-17.

Visão para se evitar os mal-entendidos

A vida de casado não é lugar para se calcular de quem é a obrigação de dar o primeiro passo para a reconciliação e pedir desculpas primeiro. O verdadeiro amor não conhece esta decisão! Ninguém a não ser um tolo faria isto. Se palavras ofensivas foram ditas durante o dia, que elas sejam resolvidas o mais rápido possível. Aqui está uma boa prática, se foram palavras ofensivas ou ódio que foram ditas vejam se este verso se aplica: “Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira.” (Efésios 4:26). Antes de fechar os olhos e dormir, certifique-se que houve uma completa restauração da comunhão entre você e seu companheiro (a). Palavras como “sinto muito” trarão paz no coração e uma boa noite de sono. O verdadeiro amor tem prazer em ser o primeiro a dar o perdão. Não há lugar para o orgulho na vida conjugal. Antes de casado não havia lugar para isto e não permita agora.

Jesus Cristo no Lar

Deixar Jesus Cristo e a Bíblia fora de suas conversas diárias é um erro fatal. Jesus nunca teve um lar dele próprio, mas Ele era um admirador de lares e passou muito tempo em lares diferentes. Ele ama seu lar e quer ser um convidado bem-vindo em qualquer hora. Sua presença no lar é indispensável. Nunca crie uma situação em sua casa que você possa se sentir desconfortável em ter Jesus em seu lar como convidado. Não pode haver amor perene e profundo sem Ele. Pode haver acordo, de algum tipo. Homens e mulheres podem até viver juntos em paz, mas não haverá um lar verdadeiro sem a presença de Jesus, o Filho de Deus. O coração de cada lar é a esposa; o cabeça de cada lar é o marido; e o cabeça de cada marido é Cristo e o cabeça de Cristo é Deus. “Quero porém, que saibais que Cristo é a cabeça de todo homem, o homem a cabeça da mulher, e Deus a cabeça de Cristo.” (I Coríntios 11:3).

 

 

PARA A SUA INFORMAÇÃO – A Lei Internacional de Direitos Reservados protege todos os materiais da página da internet da  Bible Broadcasting Network, Inc. (Rede de Radiodifusão Bíblica).  Isto inclui áudio, literatura e qualquer arquivo de vídeo. Para reproduzir ou publicar qualquer material, deve-se ter a permissão por escrito da BBN. Qualquer utilização dos materiais acima em reprodução para venda é estritamente proibido por lei. No entanto, uma vez que a BBN é um ministério e o material é para o seu crescimento espiritual pessoal, você pode gratuitamente fazer download de materiais se o propósito for para o seu uso pessoal.   
Copyright (c) 2006.

BBN ao Vivo

No Ar:
Razão Para Viver
Pr. Fernando Bochio
Histórias Verdadeiras

Login                                                                                          Biblia Online   Copyright   Privacidade